Arquivo da tag: literatura

Restrospectiva de Leituras 2012 – A Descoberta do Mundo

Ah, a Clarice , pausas para suspiro, parte 2.

A Descoberta do Mundo é um conjunto de textos, divididos cronologicamente, divulgados por Clarice na imprensa nacional. Uma deliciosa viagem delicada, breve e profunda pela Clarice mais popular, com perdão do paradoxo.

Não há o que eu possa dizer a respeito, por isso, deixarei que ela mesma fale por si:

Era uma vez um pássaro…meu Deus!”

“A busca do prazer me tem sido água ruim: colo a boca e sinto a bica enferrujada, escorrem dois pingos de água morna: é a água seca…”
“no começo era apenas bom e não era pecado[…]mas eis que minha natureza de repente me assassinava, e já não era uma doçura de amor pelo mundo: era uma avidez de luxúria pelo mundo. “
“Rosa é a flor feminina, dá-se toda e tanto que para ela resta a alegria de se ter dado”
“Vivendo toda, e em cada minuto vivendo de uma vez, nunca aos poucos apenas, nunca se poupando…”
“Amor […] é quando é concedido participar um pouco mais. Poucos querem o amor verdadeiro, porque o amor é a grande desilusão de tudo o mais. E poucos suportam perder todas as ilusões. “
“De Clarice para Neruda: – O que é amor? Qualquer tipo de amor. -A melhor definição de amor seria: o amor é o amor. -Você já sofreu muito por amor? -Estou disposto a sofrer mais.”
“Estou viciada em viver nessa extrema intensidade. A hora de escrever é o reflexo de uma situação toda minha. “
“Bom domingo para vocês. Segunda-feira é um dia mais difícil porque é sempre a tentativa do começo de vida nova. Façamos cada domingo de noite um réveillon modesto, pois meia noite de domingo não é o começo de Ano-Novo, é o começo de semana nova, o que significa fazer planos e fabricr sonhos. Meus planos se resumem, para esta semana nova, em arrumar finalmente meus papéis, já que a governanta eu não vou ter mesmo. Quanto aos sonhos desculpem, guardo-os para mim, como vocês guardam, com o olhar pensativo, de que tem direto, os próprios.”
“O personagem leitor é um personagem curioso, estranho. ao mesmo tempo que inteiramente individual e com reações próprias, é tão terrivelmente ligado ao escritor que na verdade ele, o leitor, é o escritor. “
“Andava tão longe de Clarice, voltei morrendo de saudades.”
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura

Restrospectiva de Leituras 2012 – Na terra das Fadas

Sim, eu fui uma criança Walt Disney, e para quem cresceu com esta perspectiva de contos de fadas, jamais esquece.

Justamente para isso, fui em busca deste “Na Terra das Fadas” para esmiuçar um pouco mais sobre a vida destas princesas.

Nenhuma surpresa, algumas revelações. O texto trata-se de um excerto da obra de Bruno Bettelhein a respeito da mística dos contos de fada, mas passa uma perspectiva feminina interessante sobre algumas protagonistas.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura

Restrospectiva de Leituras 2012 – Clarice Lispector – Esboço para um possível retrato

Ah Clarice,  pausa para um suspiro.

Eu soube deste livro num curso ministrado pela especialista em Clarice Lispector. Quis comprá-lo muito em seguida por n motivos, porém, um deles é uma muito mais que sutil insinuação de uma possível relação lésbica entre a autora e a escritora.

Fora isso, Olga conta em Clarice Lispector – esboço para um possível retrato –  particularidades da vida da escritora e da escrita deste misterioso ser Clarice Lispector.

O que realmente suscita tanta especulação sobre este livro é a proibição dos herdeiros de Clarice em reeditar.

Para quem encontrar e quiser comprar esta edição é super recomendado para os clariceanos de plantão.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura

Restrospectiva de Leituras 2012 – O futuro da humanidade

Este ano, uma das minhas resoluções foi desapegar de alguns preconceitos. E este livro foi uma grande prova disso, indicação de alguém bem importante e admirada. Ainda que Augusto Cury não tenha me surpreendido textualmente, o tema da valorização de um outro ponto de vista em contraponto ao médico-acadêmico tão já gasto.

Neste livro são abordados temas como a vida de moradores de rua, conceitos das universidades de medicina e a psicologia, a depressão e o uso indiscriminado de drogas contra desordens psíquicas.

Uma leitura bastante leve sobre temas bem profundos.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura

Retrospectiva Leituras 2012 – O Primeiro Beijo

Em 2012 consegui ler, mais uma vez, mais do que esperava, menos que gostaria…Após um ano tão cheio de novidades, vamos ao resumo da leitura:

A primeira leitura do ano foi o Primeiro Beijo  (1999) é uma coletânea de textos de Clarice Lispector, voltados para o público infanto juvenil. Porém, lembremos, trata-se de Clarice, logo a densidade da escrita permanece. Uma ótima pedida para férias, filas, uma espécie de hipsnose clariceana rápida, dividida em pequenos contos.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura

Resultado do Desafio (pessoal) Clarice Lispector 2012

A cada ano que passa mais e mais publicações acerca de Clarice são lançadas ( e muito desejadas por mim). Em 2012, minhas leituras clariceanas nem foram tantas assim, pois andei muito com madimoiselle Beavoir, porém, vamos conferir a quantas ficou meu desafio anual em saber tudo a respeito de dona Clarice:

Lidos em 2012:

O Primeiro Beijo e outros contos – 1999 – Editora Ática – Coletânea de contos.

Clarice Lispector – Esboço para um possível retrato – Olga Borelli – 147 páginas

A Descoberta Do Mundo  – Clarice Lispector – 480 páginas – Rocco

Desafio Clarice Lispector 2012

Desafio Clarice Lispector

Via Quero Morar em uma Livraria

A lista completa é a seguinte (marcados os que eu já devorei):

1943 – Perto do Coração Selvagem (Romance)
1946 – O Lustre (Romance)
1949 – A Cidade Sitiada (Romance)
1960 – Laços de Família (Contos)
1961 – A Maçã no Escuro (Romance)
1964 – A Legião Estrangeira (Contos)
1964 – A Paixão Segundo G.H. (Romance)
1967 – O Mistério do Coelho Pensante (Infantil)
1968 – A Mulher que Matou os Peixes (Infantil)
1969 – Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres (Romance)
1971 – Felicidade Clandestina (Contos)
1973 – Água Viva (Romance)
1974 – Onde Estivestes de Noite (Contos)
1974 – A Via Crucis do Corpo (Contos)
1974 – A Vida Íntima de Laura (Infantil)
1975 – De Corpo Inteiro (Entrevistas)
1977 – A Hora da Estrela (Romane)
1978 – Para Não Esquecer (Crônicas)
1978 – Um Sopro de Vida (Romance)
1978 – Quase de Verdade (Infantil)
1979 – A Bela e a Fera (Contos)
1987 – Como Nasceram as Estrelas (Infantil)
2002 – Correspondências (Cartas)
2004 – Aprendendo a Viver (Crônicas)
2005 – Aprendendo a Viver Imagens
2005 – Outros escritos
2006 – Correio Feminino (Crônicas)
2007 – Entrevistas
2007 – Minhas Queridas (Cartas)
2008 – Só para Mulheres (Crônicas)
2008 – A Descoberta do Mundo (Crônicas) (2012!!!)
2009 – Clarice na Cabeceira (Contos)

2010 – Clarice, Benjamin Moser
2011 – Do Rio de Janeiro e seus personagens Crônicas para jovens Organização: Pedro Karp Vasquez

Retirada do site Clarice Lispector .

Bora desafio, para 2013, e como a lista só cresce, neste site novo sobre a Diva há listas e listas e listas…

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura

Vestibular

Em épocas de ENEM, achei muito apropriado:

Via Livros e Afins

Deixe um comentário

Arquivado em Ensino

A explicação do “Segundo Sexo”

“Meu ensaio se chamará “O segundo sexo. Em francês soa bem, porque sempre chamam os homossexuais de “terceiro sexo”, sem mencionar que as mulheres vêm em segundo, e não simplesmente em igualdade com os homens, a hierarquia fica subentendida. Que grande livro será este! Cheio de histórias divertidas”

 

Simone de Beauvoir explicando o título de sua mais famosa obra a Nelson Algreen. In: Cartas a Nelson ALgreen: um amor transatlântico. Nova Fronteira:p.116.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura

Dos livros que mudam a vida: O Segundo Sexo – Simone de Beauvoir

Simone de Beauvoir foi escritora, filósofa existencialista e feminista francesa. Teve uma educação burguesa e cristã e tornou-se nome fundamental na história do feminismo mundial.

Quando, em 1949, Simone lançou o ensaio “O Segundo Sexo”, disse em entrevista que esperava que seu livro fosse superado. Infelizmente, a sua obra permanece atualíssima nos dias de hoje.

Com a célebre frase “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher”, o livro inicia a problemática da interferência social e comportamental sob a existência da mulher, tornando características sintéticas em comportamentos tidos como “naturais” ao sexo feminino.

O livro ainda trata da vida da mulher perante a adolescência, a sexualidade, a experiência sexual, a homossexualidade, a prostituição, o casamento, a maternidade, a velhice e as relações de trabalho.

Com colocações relevantes e atuais, Simone discorre sobre a mulher com a propriedade que só uma pensadora como ela poderia demonstrar, sem mistificação ou exaltações , ela revela um panorama necessário ao desenvolvimento de um feminismo saudável que garante a independência de comportamento e pensamento de mulheres até hoje.

Leitura para lá de recomendada à mulheres e homens de todas as idades.

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Na Biblioteca

Simone de Beauvoir e os best-sellers

Como evoluímos, minha cara, como evoluímos…

 

” a literatura assume seu sentido e dignidade quando se endereça a indivíduos empenhados em projetos, quando os ajuda a ultrapassarem para horizontes mais amplos; cumpre que ela seja integrada no movimento da transcendência humana; ao passo que a mulher degrada livros e obras de arte abismando-os em sua imanência; o quadro torna-se bibelô, a música, refrão vulgar, o romance um devaneio tão vão quanto uma coifa de crochê. São as americanas  as responsáveis pelo aviltamento dos best-sellers; estes não somente pretendem agradar, como ainda agradar a ociosidade ávidas de evasão.”

 

Simone de Beauvoir In: O segundo Sexo, volume II, p.360.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura