Restrospectiva de Leituras 2012 – A Descoberta do Mundo

Ah, a Clarice , pausas para suspiro, parte 2.

A Descoberta do Mundo é um conjunto de textos, divididos cronologicamente, divulgados por Clarice na imprensa nacional. Uma deliciosa viagem delicada, breve e profunda pela Clarice mais popular, com perdão do paradoxo.

Não há o que eu possa dizer a respeito, por isso, deixarei que ela mesma fale por si:

Era uma vez um pássaro…meu Deus!”

“A busca do prazer me tem sido água ruim: colo a boca e sinto a bica enferrujada, escorrem dois pingos de água morna: é a água seca…”
“no começo era apenas bom e não era pecado[…]mas eis que minha natureza de repente me assassinava, e já não era uma doçura de amor pelo mundo: era uma avidez de luxúria pelo mundo. “
“Rosa é a flor feminina, dá-se toda e tanto que para ela resta a alegria de se ter dado”
“Vivendo toda, e em cada minuto vivendo de uma vez, nunca aos poucos apenas, nunca se poupando…”
“Amor […] é quando é concedido participar um pouco mais. Poucos querem o amor verdadeiro, porque o amor é a grande desilusão de tudo o mais. E poucos suportam perder todas as ilusões. “
“De Clarice para Neruda: – O que é amor? Qualquer tipo de amor. -A melhor definição de amor seria: o amor é o amor. -Você já sofreu muito por amor? -Estou disposto a sofrer mais.”
“Estou viciada em viver nessa extrema intensidade. A hora de escrever é o reflexo de uma situação toda minha. “
“Bom domingo para vocês. Segunda-feira é um dia mais difícil porque é sempre a tentativa do começo de vida nova. Façamos cada domingo de noite um réveillon modesto, pois meia noite de domingo não é o começo de Ano-Novo, é o começo de semana nova, o que significa fazer planos e fabricr sonhos. Meus planos se resumem, para esta semana nova, em arrumar finalmente meus papéis, já que a governanta eu não vou ter mesmo. Quanto aos sonhos desculpem, guardo-os para mim, como vocês guardam, com o olhar pensativo, de que tem direto, os próprios.”
“O personagem leitor é um personagem curioso, estranho. ao mesmo tempo que inteiramente individual e com reações próprias, é tão terrivelmente ligado ao escritor que na verdade ele, o leitor, é o escritor. “
“Andava tão longe de Clarice, voltei morrendo de saudades.”
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s